Crítica | Doutor Estranho (2016): um primor visual

Um filme bonito, importante para o MCU e esquecível

Eu não conhecia o personagem antes de assistir ao filme e saí satisfeito. Gostei do Doutor, sua personalidade e a jornada que trilhou até se tornar um mago. É um filme de origem padrão, tendo o visual como maior ponto positivo, mas, possui seus problemas narrativos.

Doutor Estranho
Medicina, arrogância e show de luzes

Doutor Estranho, da Marvel Studios, conta a história do neurocirurgião mundialmente famoso Dr. Stephen Strange, cuja vida muda para sempre depois de sofrer um terrível acidente de carro que incapacita suas mãos. Como a medicina tradicional não pode ajudá-lo, ele é forçado a procurar a cura e a esperança em um lugar improvável – o misterioso enclave conhecido como Kamar-Taj.

O começo constrói a identidade do Doutor como sendo alguém egoísta e que deseja apenas o patamar mais alto, não salvar vidas, então um acidente dá um peso dramático muito grande ao personagem, que perdeu tudo o que tinha na tentativa de se curar, o que me leva ao primeiro problema do filme.

A passagem do tempo ao longo da trama é estranha, pelo que é dito, você subentende que se passou algum tempo, mas não faz ideia do quanto. Aliado a isso, vem a falta de noção do que aconteceu nesse período que levou o Doutor de um ponto ao outro, por exemplo, não vimos ele gastando dinheiro de diversas formas buscando se tratar, assim como não vimos ele ler os livros, nem sabemos o tempo que levou para isso, então tudo soa meio fácil.

A resistência dele em aceitar o que a Anciã dizia foi bem empregada, mas, de novo, senti que foi um pouco rápido. E nessa cena também vêm outro problema, os efeitos especiais.

O uso dos efeitos especiais ao longo do filme servem ao propósito de modificar as condições de combate, não os deixando ser “gratuitos”, exceto na primeira cena do Doutor conhecendo a magia. Aquela sequência psicodélica, em sua maior parte, só estava sendo vista pelo expectador, não pelo Doutor, de modo a parecer um efeito visual meramente comercial.

O vilão Kaecilius é bem razoável, assim como Dormamu, eu consigo comprar a ideia dele, mas não empolgou.

O humor no filme é bem fraquinho, mas consegue arrancar algumas risadas pontuais. A piada da senha do Wi-Fi é um exemplo desse humor básico e descompromissado.

O plot twist de a Anciã drenar poder da dimensão negra foi bem desinteressante para mim, não pareceu nada surpreendente ou coisa do tipo. A virada do enredo na luta final foi verdadeiramente interessante, o plano do Doutor e a reação do Dormamu, embora eu tenha estranhado o fato de eles se lembrarem do ocorrido estando num looping temporal.

Vale a pena ressaltar que a luta enquanto o tempo regredia foi bem agradável visualmente, assim como a estratégia de jogar o adversário numa construção para ele se solidificar dentro dela.

Existem algumas pequenas coisas que eu quero pontuar, mas para não deixar parágrafos muito curtos, vamos fingir que é uma lista.

Assisti ao filme duas vezes e em ambas estranhei a reação do cara do bastão do Tribunal Vivo, achei infundado;

As cenas de ação são bem básicas, não comprometem e nem servem como ponto muito positivo;

Estranho a forma astral influenciar em algumas coisas físicas com o impacto;

A não tradução do nome do Doutor fez se perder alguns trocadilhos e o próprio título não fazer sentido. Se o nome dublado é Strange, então o nome do filme devia ser Doutor Strange;

Não gostei da falta de reação do Doutor quando a capa começou a ajudá-lo, da mesma forma que ele simplesmente começou a voar e não disse nada, agiu como se nada houvesse ocorrido;

E que coisa mais esquisita foi aquela do portal aberto no armário das vassouras? Ninguém entra lá? O Doutor simplesmente deixou o portal aberto e pronto;

Eu realmente não entendi como o Doutor entra e sai de salas do hospital naturalmente, sem nenhum impedimento, como se aquilo fosse normal.

Em resumo, o filme é legal, mas é morno. Não é marcante, então é o tipo de filme que, depois de ver pela primeira vez, se torna enfadonho assisti-lo. Como filme, ele é medíocre, embora eu tenha gostado, mas o que realmente importa é mostrar a gema do tempo e expor a Terra a forças cósmicas.

Doutor Estranho é uma engrenagem vital para o Universo Cinematográfico Marvel, assim como Guardiões da Galáxia. Filme de regular para bom, graças aos seus incríveis efeitos especiais.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s