Dragon Ball | O final ideal de Dragon Ball Z

Décadas após seu lançamento, Dragon Ball já passou pelo momento certo de parar

Dragon Ball é uma franquia oriental de quadrinhos (e muitas outras mídias) criada por Akira Toriyama (Dr. Slump). Por ser uma obra vasta, possui várias sagas e, portanto, vários finais. Mas, no fim das contas, qual foi a saga com o fim mais adequado de toda a série?

Dizem que é o Dragon Ball clássico, outros tantos afirmam que é o Dragon Ball GT, mas, para chegar a uma conclusão, vou abordar apenas as três sagas da fase Z. O GT já era uma saturação dos conceitos usados anteriormente e o clássico “pensava pequeno”, então ambos deixariam a disputa desnivelada. Eles merecem avaliação própria. Por outro lado, as três sagas do Z são parecidas.

O lendário Super Saiyajin

A Saga Freeza expandiu o mundo de Dragon Ball com uma trama simples: um imperador do mal quer dominar o Universo e precisa ser detido. Foi apresentada uma lenda de um Saiyajin super poderoso, a qual fez o impiedoso Freeza ter medo de ser destronado. Após ver Kuririn assassinado, Goku se transforma no guerreiro da lenda, o Super Saiyajin, e humilha Freeza. Após todos os habitantes do planeta estarem a salvo, Namekusei explode.

O que torna esse final bom é ter o Goku como uma pessoa especial, alguém diferente de todos os outros. Um dos problemas posteriores de Dragon Ball Z foi justamente ter muitos Super Saiyajin, o que enfraquece o conceito dessa primeira aparição. A Saga Freeza representava um ápice de potencial destrutivo (a explosão planetária) que suas sucessoras não conseguiram replicar, pois a escalada de poder não foi palpável.

No sentido de ser um épico cortado no auge, a Saga Freeza funciona, mas Vegeta e Gohan terminariam sem um desenvolvimento completo.

A fúria de Gohan

A Saga Androide resgatou conceitos do Dragon Ball clássico, tendo como vilões os androides criados pelo Dr. Gero. Ainda usou viagens no tempo como base para o seu enredo e banalizou a transformação em Super Saiyajin.

Goku tentou passar o bastão para o filho, mas, junto com um poder enorme, Gohan ficou arrogante, e isso obrigou Goku a morrer para evitar a destruição da Terra. Quando tudo parecia resolvido, Cell retornou, inteiro e mais forte que antes. Somente com o apoio do espírito de Goku, e o esforço dos guerreiros que já haviam sido vencidos, a luta contra Cell foi finalizada.

A postura do Goku é mais adulta, ao mesmo tempo em que ele foi irresponsável ao jogar toda a responsabilidade nas costas do Gohan. Felizmente, o roteiro foi inteligente para reconhecer isso num incrível diálogo do Goku com o Piccolo. A maturidade também se fez presente no Gohan, que terminou a Saga Androide ciente de seu papel como protetor da terra, aparentemente assumindo o posto de protagonista.

Aqui o desenvolvimento do Gohan fecha e o Vegeta possui uma finalização mais implícita, embora suficiente.

Batalha pelo Universo

A Saga Boo é a mais fraca, pois o vilão, Majin Boo, é apenas um ser irracional que destrói coisas. Contudo, a batalha final no Planeta Sagrado tem Goku e Vegeta esgotados lutando além do limite, toda a humanidade sendo decisiva e o desabafo de Vegeta, no qual ele admite que Goku é o melhor. Isso contrabalanceia os pontos negativos.

Basicamente, só duas coisas se salvam na Saga Boo: o desabafo do Vegeta e a tensão final, motivo para esta saga ser um páreo duro para as outras. A Genki Dama simboliza a vitória de toda a humanidade contra o Majin Boo, o que valoriza todos além do núcleo principal, até o Mr. Satan, que tem papel crucial na vitória sobre o Kid Boo.

Uma jornada coerente

Se todos os finais são bons, o que definiria o ideal? Creio que seja um balanço entre a tensão da situação e o desenvolvimento dos personagens. Assim, já podemos descartar a Saga Freeza, pois Goku passou parte da batalha final sendo superior ao Freeza e o maior risco que havia era o da morte dele mesmo, não uma perda maior. Apesar da perda nessa disputa, a Saga Freeza é muito forte quando a pergunta é qual a melhor saga de Dragon Ball.

Em matéria de final, a Saga Boo e a Androide são quase equivalentes. O que cria um desequilíbrio na balança é a perspectiva de um final que melhor encerre a obra. Por mais que o desfecho da luta contra o Kid Boo seja emocionante, é um mais do mesmo que não determina um ponto final para a franquia Dragon Ball, enquanto a vitória de Gohan amarra o fim da jornada do Goku, o fim do desenvolvimento do Gohan e a redenção do Vegeta (que distraiu o Cell e permitiu a vitória do Gohan).

Outros detalhes que pesam a favor da Saga Androide são o uso de inimigos que remetem ao Dragon Ball clássico e um vilão final compatível com a personalidade do Goku, mas que, ao mesmo tempo, reúne (literalmente) todos os personagens guerreiros de Dragon Ball Z. Foi um desfecho digno e fechado para Goku, com a porta aberta para um novo protagonista, e, por isso, foi o final ideal de Dragon Ball Z.


Deixe suas dúvidas, críticas ou sugestões nos comentários e siga o Blog do Kira por e-mail para não perder os próximos posts. Acesse o Podcast do Kira, um canal com versões em áudio de alguns textos daqui e conteúdos inéditos.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s