Crítica | O Massacre da Serra Elétrica (2003): começa bem, termina mal

Ficha técnica no IMDb

Sinopse: um grupo de jovens viajantes para num lugar, entra onde não devia e é perseguido por um assassino. Ah, e o assassino tem uma motosserra.

O começo de O Massacre da Serra Elétrica usa uma perspectiva de “investigação do crime”, como se aquilo fosse posterior aos eventos que o filme mostraria na sequência. Como em quase todos os filmes que o utilizam, tal método não serviu para nada agregador.

O máximo que faz é criar margem para uma continuação, só que isso já era presumível pelo próprio desfecho do crime em si. Mais uma vez, um filme de terror joga contra si mesmo. E olha que, mesmo depois disso, eu criei grandes expectativas, graças a alguns acertos do roteiro.

Até chegarem ao moinho, a progressão era natural e lógica. Em geral, os filmes de terror fazem os personagens irem para lugares inadequados sem motivo, mas O Massacre da Serra Elétrica constrói bem a situação que os leva ao covil dos vilões. O ponto negativo desse começo é a cena do casal no carro.

O problema é, resumidamente, todo o resto. Há personagens que exploram o covil dos vilões sozinhos, mesmo vendo que o lugar estava em más condições e excessivamente escuro. Não faz sentido. Depois, ainda se dispõe a procurar por um deles na casa do vilão novamente sozinhos. Eles claramente subestimavam o risco.

A protagonista é absurdamente burra quase o tempo todo, em especial, no fim do filme. Há uma cena em que o Leatherface a joga no chão e o amigo dela avança sobre ele. Nisso, a motosserra cai no chão, só que em vez de pegá-la, a protagonista decide bater com a mão no Leatherface.

Sem contar os momentos estranhos em que os personagens ficam no chão em vez de correr para sair do alcance da motosserra. E isso me leva novamente à protagonista: por que ela escolheu se enfiar em lugares fechados? É irracionalmente idiota entrar em espaços limitados quando seu inimigo sai cortando tudo de qualquer jeito e, basicamente, não dá pra chegar perto dele sem morrer.

A protagonista chega num quarto, se esconde num armário e o Leatherface quase a pega. Ela foge. O que faz em seguida? Entra num lugar fechado e se esconde de novo, quase do mesmo jeito. Será que ela era incapaz de pensar em apenas ir para o mato e correr em linha reta?

Sei que naquelas condições o comportamento afobado é coerente e que o roteiro quis criar uma rima interna com o início do filme, mas ela precisava mesmo tentar guiar o caminhão pelo motorista sem sequer dizer que ele estava indo para perto da casa dos assassinos?

Os vilões de O Massacre da Serra Elétrica são outro problema. Eles basicamente funcionam como um recurso de roteiro, só um desafio necessário para que o filme seja um filme. Digo isto porque muito pouco neles importa.

Toda aquela ambientação de “nós mexemos com carne” não serve para nada e não parece que eles tem objetivos, porque o personagem do gancho, por exemplo, ficou pendurado a troco de nada para sempre.

Não senti que eles pretendiam chegar a algum lugar, então o que sobra para os vilões é um vazio temático incômodo. Um vilão vazio que eu detesto é o Michael Myers, só que a proposta dele é ser vazio. O Leatherface parece tentar dizer algo, mas não consegue, o que é pior.

No filme há também ações fisicamente duvidosas, como um personagem magicamente ir de um lugar para o outro. Destaco a inútil aparição final do Leatherface.

O Massacre da Serra Elétrica é um filme extremamente básico e deficiente. Ele é como um rascunho de bons filmes do gênero, como Aviso de Tempestade e O Albergue (os quais funcionam no quesito qualidade dos vilões).


Deixe suas dúvidas, críticas ou sugestões nos comentários. Siga o Blog do Kira por e-mail e não perca os próximos posts. Acesse o Podcast do Kira, um canal com versões em áudio de alguns textos daqui e conteúdos inéditos.

4 comentários

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s