Crítica | O Massacre da Serra Elétrica 3 (1990): nem é tão ruim

Ficha técnica no IMDb

Um apaixonado casal de estudantes universitários está viajando pelos Estados Unidos de costa a costa, mas acaba saindo da rodovia principal e cai direto em uma estrada deserta justamente no estado do Texas. Perfeitamente apanhados na armadilha, eles começam a ser caçados pelo ameaçador Leatherface e sua família psicótica, um bizarro clã com sangue nas mãos e um estranho gosto por carne humana na hora do jantar. Sua única chance de escapar está no arsenal de um caçador.

O Massacre da Serra Elétrica 3 é um filme surpreendentemente bom. Não bom para os parâmetros gerais, mas comparado aos seus antecessores. Em síntese, embora ele erre, erra menos que os filmes anteriores nos mesmos pontos. É admirável uma franquia que não segue simplesmente a tendência da ruindade espiralada (digo isso também considerando que o remake de 2003 é superior ao original, de 1974).

Como o filme anterior, este começa estabelecendo uma conexão com o original, usando aquele texto em fundo preto que eu detesto. Além de me desagradar pessoalmente, tal artifício é inútil, pois é irrelevante para o entendimento do filme saber que a protagonista do original morreu e alguém foi condenado como Leatherface. O Massacre da Serra Elétrica 2 se sai melhor nesse aspecto.

É comum que filmes deste subgênero precisem levar os personagens para o lugar errado na hora errada e O Massacre da Serra Elétrica 3 justifica bem tal desvio. O casal vai pelo caminho indicado pelo cowboy porque ele arriscou a vida para salvá-los, então logicamente era confiável.

Para você ver, o subgênero é tão ruim que quando uma obra faz sua obrigação de justificar as ações acaba se destacando.

Na estrada alguns problemas surgem. A começar, o filme passa da metade e os personagens ainda estão na estrada, o que fez eu me perguntar quando o filme ia começar “de verdade”. Isto é ruim porque passa a sensação de que não há enredo. São só uns caras perseguindo outros caras na estrada. Não há motivação.

O grande problema, que para mim é o maior defeito de O Massacre da Serra Elétrica 3, é que o roteiro não soube introduzir os personagens. O clichê do grupo de jovens é um clichê porque ele facilita a identificação do público e distribui de forma mais equitativa a importância dentro do enredo.

Quando optou por fazer personagens de fora entrarem no meio da trama, O Massacre da Serra Elétrica 3 sentenciou a relevância que eu daria para tais personagens, prejudicando largamente a experiência de assisti-lo.

E o roteiro comete mais um erro dentro deste erro: mata o homem rápido demais, quase que de forma afobada. Isso tira boa parte do peso emocional da protagonista, pois ela já perdeu o que tinha para perder. Fica a impressão de que faltou coerência no todo da introdução e desenvolvimento dos personagens, algo como um desequilíbrio narrativo.

Embora O Massacre da Serra Elétrica 3 tenha encaminhado bem a ida para a estrada que ninguém usa, o mesmo não posso dizer da chegada da trama à casa dos canibais. A protagonista foi muito burra. E várias vezes.

Quando o pneu furou e o homem foi trocá-lo, ela insistiu demais em não deixar a lanterna apontada para a roda. Claramente aquilo os atrasou. O que ela pretendia? Cegar a pessoa que se aproximava sorrateiramente usando a luz da lanterna? Depois, quando estão rodando, o homem avisa que o pneu não vai aguentar muito tempo e que precisa apertar os parafusos. Qual é a brilhante ideia dela? Ignorar. Parabéns.

A casa dos canibais foi introduzida após a protagonista por absolutamente nenhum motivo entrar lá e explorar, em busca da criança. Daí quando a criança a machuca ela fica surpresa. Ora, é o mínimo que espero de uma criança que vê um desconhecido entrar em seu quarto.

E para que raios um quarto cheio de ossos? Apenas para criar o clima aterrorizante? É ruim e comum em filmes desse tipo as casas serem aparentemente inabitáveis. Canibais quase sempre são retratados como nojentos, doentes mentais e pirados. Nos demais filmes desta franquia, os que resenhei, as pessoas não são tratadas como refeição e, em partes deste filme, o mesmo ocorre.

Só que, até aqui, O Massacre da Serra Elétrica 3 foi o que melhor conduziu esse lado pessoal da família. Eles falam um pouco sobre o homem como se fosse comida, embora antes não parecessem se importar com isso. A cereja do bolo é que os personagens não parecem tão malucos e não há palhaçadinha com o vovô imorrível.

O Leatherface não é bem explorado, mas não incomoda, então já saímos no lucro. Como um todo, os vilões funcionam, embora não sejam bons.

O personagem que falta ser mencionado é o caçador. O armado valente e burro que, depois de fuzilar os vilões (numa boa cena), não percebeu que a arma estava descarregada e só o descobriu quando tentou atirar no carro que avançava sobre ele. Teria sido um jeito muito idiota de morrer.

E o caçador também é imorrível, como o vovô. Além de ser brutalmente atropelado, o Leatherface encostou a cabeça dele na motosserra e, no outro dia, o caçador apareceu quase bem com uma caminhonete para a fuga. Teria sido lindo se ele não fosse burro o suficiente para não perceber que havia um vilão escondido no veículo.

Aí, para fechar com chave de ouro, a protagonista foi burra ao não atirar imediatamente no vilão. Isto não a fez morrer, mas poderia.

Com dois sobreviventes, o final é passável. Não gostei da ilógica sobrevivência do caçador, mas o filme não foi chato, então relevo esse detalhe.

O Massacre da Serra Elétrica 3 é um filme meia boca que pode servir de entretenimento aos fãs do subgênero, mas que não chega a ser um filme de qualidade.

Observação: qualquer final girl é melhor que a do primeiro filme, a qual gritava, gritava e gritava até eu querer entrar no filme, tomar a motosserra do Leatherface e parti-la ao meio.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s