Death Note | Todas as regras do Death Note

Muito mais regras que na obra

O vol. 13 do mangá de Death Note é um databook, um guia que apresenta diversas informações sobre a obra, incluindo uma relação completa das regras do Death Note. Para não deixar um simples listão, o How to Read separou as regras em quatro categorias: como usar, direito de propriedade, olhos de shinigami e regras dos shinigamis. Há também subcategorias, as quais copiei para facilitar o entendimento. Há pontos que não são exatamente regras, mas costumes.

Futuramente farei um vídeo para comentar as regras extras. Por este motivo e para facilitar o entendimento, as regras foram numeradas entre parênteses.

I. Como usar

1. Preenchimento do nome

(1) O humano cujo nome for escrito neste caderno morrerá.

(2) Este caderno não surtirá efeito a menos que se tenha em mente o rosto daquele cujo nome está sendo escrito. Portanto, outra pessoa com o mesmo nome não será afetada.

(3) Se o proprietário do Death Note acidentalmente errar a escrita do nome da vítima por quatro vezes, esta estará livre de ser morta pelo Death Note.

(4) Entretanto, caso o nome seja escrito errado propositalmente por quatro vezes, aquele que escreveu o nome no caderno morrerá. Isso, no entanto, não significa que a pessoa cujo nome foi escrito incorretamente esteja livre de ser morta pelo Death Note.

(5) Se o nome de uma mesma pessoa for escrito em dois ou mais Death Notes, a prioridade será dada àquele em que foi escrito primeiro, independentemente do horário estipulado para a sua morte.

(6) Se o nome de uma mesma pessoa for escrito em dois ou mais Death Notes, com uma diferença de tempo de até 0,06 segundo, essas descrições serão consideradas simultâneas, invalidando ambas. Assim, a pessoa que teve seu nome escrito no caderno não morrerá.

(7) Para o Death Note surtir efeito, o nome de uma vítima não pode ser escrito separado em várias páginas. Entretanto, a frente e o verso de uma folha são considerados uma única página. Portanto, é válido escrever, por exemplo, o nome na frente e o sobrenome no verso.

2. Preenchimento da causa e circunstâncias da morte

(8) Se a causa da morte for escrita até 40 segundos depois do nome da pessoa, segundo a unidade de tempo dos humanos, assim será feito.

(9) Se a causa da morte não for especificada, a pessoa simplesmente morrerá de uma parada cardíaca.

(10) Após escrever a causa, os detalhes da morte devem ser fornecidos nos próximos 6 minutos e 40 segundos.

(11) Nos 40 segundos que se seguem à escrita da “parada cardíaca” como causa da morte, o proprietário deste caderno poderá determinar a hora da morte, podendo manipulá-la livremente, inclusive dentro dos 40 segundos que se seguem à escrita do nome.

(12) As circunstâncias da morte não serão realizadas se o descrito no caderno for de prática fisicamente impossível para aquele humano ou se estiver fora do que é considerada uma atitude razoável para o humano em questão.

(13) A abrangência das circunstâncias da morte é desconhecida até mesmo para o Shinigami, portanto, o usuário terá de testar para descobrir.

(14) É permitido escrever a causa e as circunstâncias da morte antecipadamente, preenchendo posteriormente o nome da vítima. Neste caso, o nome deverá ser escrito na frente da causa da morte. O prazo para o preenchimento do nome é de cerca de 19 dias, segundo a unidade de tempo dos humanos.

(15) Suicídio é uma causa mortis válida. Uma vez que há possibilidade de todo e qualquer humano cometer suicídio, ele não se enquadra na categoria dos “comportamentos inconcebíveis”.

(16) Independentemente de ser por suicídio ou acidental, a morte de uma pessoa não pode ser causa direta da morte de qualquer outro indivíduo. Quando a causa da morte escolhida puder levar à morte de outro alguém, a pessoa cujo nome foi escrito morrerá de parada cardíaca em circunstâncias que evitem a morte de terceiros.

(17) Após ter escrito no Death Note o nome, a hora e as circunstâncias da morte, dentro de um prazo de 6 minutos e 40 segundos, a hora e as circunstâncias da morte poderão ser alteradas quantas vezes desejar. Obviamente, tais alterações serão válidas antes da morte da vítima.

(18) Se for escrito apenas “morte acidental”, sem especificar as circunstâncias, a vítima morrerá 6 minutos e 40 segundos após escrever a causa mortis, por um acidente que seja o mais rápido e natural possível.

(19) Mesmo tendo escrito um único nome no Death Note para morrer por acidente, se as circunstâncias descritas causarem grande impacto sobre o ambiente do Mundo dos Humanos e puder envolver perigosamente pessoas inocentes, considera-se que há “envolvimento de terceiros” e, portanto, a causa mortis será alterada para parada cardíaca.

(20) No caso de escrever “morte por doença”, determinando o nome da doença e a hora da morte, deve haver tempo suficiente para o desenvolvimento da doença escolhida. Caso o tempo disponível até a morte seja curto demais, a vítima acabará morrendo em consequência de uma parada cardíaca 6 minutos e 40 segundos após ser escrito no Death Note.

(21) Caso escreva “morte por doença” com a hora desejada da morte, mas sem especificar o nome da doença, a vítima morrerá na hora determinada, em decorrência de uma enfermidade adequada à situação. Entretanto, o prazo para a morte não poderá ser superior a 23 dias do calendário dos humanos, a contar do momento da escrita no Death Note. A isso denomina-se “regra dos 23 dias”.

(22) Ao escrever “morte por doença” seguido do nome da doença, mas sem especificar a hora da morte, a “regra dos 23 dias” não será aplicada. A morte acontecerá no tempo apropriado para a doença se desenvolver, mesmo que exija mais do que 24 dias. Mesmo nessa situação, o prazo para a alteração do que foi escrito no caderno continua sendo de 6 minutos e 40 segundos. Não importa quão distante seja a época, passado o prazo, as circunstâncias da morte não poderão mais ser alteradas.

(23) Embora seja necessário escrever o nome da vítima em uma única página para que o Death Note funcione devidamente, a causa e as circunstâncias da morte poderão ser escritas em páginas diferentes, desde que quem as escreva concentre-se no nome da vítima para que ela seja associada ao que está sendo escrito.

(24) No caso de escrever previamente a causa e a circunstância da morte, para depois preencher o nome da vítima, pode-se escrever vários nomes desde que seja dentro do prazo de 40 segundos. Assim, será possível matar várias pessoas pela mesma causa e circunstância, contanto que não haja fatores que impossibilitem a concretização delas. Quando há uma causa mortis aplicável, mas sob circunstâncias impossíveis relacionadas ao nome de uma vítima, apenas a causa será efetiva. Se, tanto a causa como as circunstâncias forem impraticáveis, a respectiva vítima morrerá de uma parada cardíaca.

(25) É possível matar várias pessoas pela mesma causa se esta for escrita dentro de 40 segundos da unidade de tempo dos humanos, a contar do momento em que se escreveu o nome da primeira vítima. Além disso, após escrever a causa da morte, se a sua circunstância for detalhada dentro de 6 minutos e 40 segundos da unidade de tempo dos humanos, elas assim ocorrerão, caso sejam possíveis. Quando não, apenas a causa da morte será efetivada.

(26) A morte de um humano através do Death Note poderá, indiretamente, prolongar o tempo de vida de outra pessoa no Mundo dos Humanos, ainda que quem escreveu o nome não tivesse a intenção de matar para prolongar a vida de uma pessoa especificamente.

(27) Uma vez escritos o nome, a causa e as circunstâncias da morte, essa morte permanece programada, mesmo que o Death Note ou a parte onde foi escrita seja destruída, por exemplo, queimada até virar cinzas.

(28) Se, após escrever um nome, o caderno for queimado antes da causa da morte ser especificada, a vítima morrerá de parada cardíaca 40 segundos após o nome ter sido escrito. Se o nome e a causa da morte já tiverem sido escritos e o caderno for queimado antes das circunstâncias serem especificadas, a causa da morte será válida se puder ser realizada dentro de 6 minutos e 40 segundos. Caso contrário, a vítima morrerá de parada cardíaca.

3. Correções após o preenchimento

(29) Caso deseje alterar o conteúdo escrito no Death Note dentro do prazo de 6 minutos e 40 segundos, primeiramente, devem-se apagar os aspectos desejados, passando dois traços sobre os mesmos. Embora a hora e as circunstâncias da morte possam ser alteradas, a morte da vítima escrita no Death Note não poderá ser cancelada de maneira alguma.

(30) É inútil apagar os nomes escritos no Death Note usando borracha, corretivo líquido, corretivo em fita ou qualquer outro produto similar.

(31) Mesmo que o nome de uma nova vítima, assim como a causa e a situação da morte, seja escrito sobre um nome já grafado, não mudará em nada a concretização da morte programada primeiro.

4. Limitações quanto às vítimas

(32) O Death Note não surte efeito sobre vítimas com menos de 780 dias de vida.

(33) Não é possível usar o Death Note para matar um humano com idade igual ou superior a 124 anos pela contagem de tempo do Mundo dos Humanos.

(34) Não é possível usar o Death Note para matar um humano cuja sobrevida é igual ou menor que 12 minutos, pela contagem de tempo do Mundo dos Humanos.

(35) Não há meios de definir uma morte que ajude a prolongar o tempo de vida de uma pessoa através do uso do Death Note. Caso marque uma morte posterior ao tempo de vida que originalmente resta à vítima, ela morrerá antes da hora estipulada no caderno.

5. Outros cuidados

(36) O humano que fizer uso deste caderno não poderá ir nem para o céu nem para o inferno.

(37) Todas as características e funções do Death Note prevalecem numa página separada ou mesmo num pedacinho rasgado de sua folha.

(38) Qualquer instrumento poderá ser usado para escrever no Death Note, desde que permita manter as letras visíveis. Podem ser utilizados cosméticos, sangue, entre outros.

(39) Por mais nomes que sejam escritos no Death Note, suas páginas nunca terminam.

(40) Embora raros, existem Death Notes de capas brancas ou vermelhas. Contudo, a forma de uso e sua eficácia são idênticas aos cadernos de capa preta.

II. Direito de propriedade

1. Adquirindo o direito de propriedade

(41) Este caderno passará a ser propriedade do Mundo dos Humanos a partir do momento em que tocar (aterrissar) em seu solo.

(42) O proprietário do caderno será capaz de enxergar e escutar a voz de seu proprietário original, ou seja, o Deus da Morte.

(43) Qualquer humano que tocar no Death Note será capaz de ver e ouvir seu ex-proprietário, o Shinigami, mesmo que esse humano não esteja de posse deste caderno.

(44) Se um Shinigami que estava no Mundo dos Humanos morrer, o seu Death Note passará a ser propriedade do humano que o pegar.

(45) Contudo, neste caso, somente o humano que antes podia ver e ouvir esse Shinigami conseguiria ver ou tocar em seu Death Note.

(46) Embora a probabilidade de algum outro Shinigami pegar o caderno seja mínima, se isso ocorrer, o Death Note deixado por um Deus da Morte que morreu passará a ser propriedade do Shinigami que o pegar.

2. Fenômenos gerados pela posse ou não do caderno

(47) No caso de perder ou ter o Death Note roubado, perderá o direito de propriedade sobre o caderno a menos que o encontre dentro de 490 dias.

(48) Se o proprietário do Death Note vier a morrer enquanto o caderno está emprestado a outra pessoa, o direito de propriedade do Death Note é automaticamente transferido para o indivíduo que o tem em mãos. Caso o Death Note seja roubado e seu proprietário assassinado pelo autor do roubo o direito de propriedade do caderno é transferido automaticamente para esse indivíduo.

(49) O humano que perde o direito de propriedade do Death Note perde também toda a memória relativa ao uso do caderno. Porém, isso não significa que perderá totalmente a memória relativa ao período em que possuiu o Death Note. Em sua mente permanecerão as recordações de todos os seus atos não envolvidos com o caderno.

(50) Quando o humano que possui dois ou mais Death Notes perde o direito de propriedade de um dos cadernos, ele passa a não conseguir enxergar ou ouvir o Shinigami a quem pertencia o caderno de que abdicou. Contudo, enquanto esse humano estiver em posse de pelo menos um caderno, ele nunca perderá a memória relativa a todos os Death Notes com que teve contato.

(51) Ao perder o direito de propriedade do Death Note, o humano perde a capacidade de ver e ouvir o Shinigami que o acompanhava. Contudo, o humano que tocar num Death Note, ainda que não possua direito de propriedade sobre ele, passa a ver e ouvir o Shinigami que acompanha o proprietário do caderno. Com base no exposto, o humano que tocou no Death Note continuará sendo capaz de ver e ouvir o Shinigami até o dia em que o dono atual do caderno perder o direito de propriedade do Death Note.

(52) Ao recuperar o direito de propriedade do caderno que um dia lhe pertenceu, toda a memória relativa a esse caderno também será recuperada. Nesse momento, também voltará a se lembrar de tudo o que for relacionada a qualquer outro caderno com que já tivera contato. Ainda que não tenha recuperado o direito de propriedade, basta estar em contato com o caderno para que as suas lembranças retornem.

(53) Ao perder a memória relativa ao Death Note pela perda do direito de propriedade do caderno, ela poderá ser recuperada ao readquirir o direito de propriedade ou ao tocar no caderno, contudo, isso só poderá ser feito no máximo seis vezes por caderno. Caso atinja esse limite, na próxima vez em que tocar no Death Note, a memória não retornará.

(54) O mesmo efeito será assegurado mesmo que o nome da vítima seja preenchido por outra pessoa que não o proprietário do caderno, desde que esse alguém tenha pleno conhecimento do nome e do rosto da vítima.

(55) O Death Note poderá ser emprestado a outra pessoa, sem que isso signifique a perda do seu direito de propriedade sobre o caderno. A pessoa que recebê-lo poderá ainda emprestá-lo para um terceiro indivíduo.

(56) Para transferir a posse do caderno, é preciso estar certo de querer fazê-lo. Entregar o caderno a outro não significa abdicar dele.

(57) O Shinigami não acompanha a pessoa para quem o Death Note foi apenas emprestado. Qualquer que seja a situação, o Deus da Morte está sempre junto ao proprietário do caderno. À pessoa que toma o Death Note emprestado, não será concedido o direito de negociação do olho do Shinigami.

(58) Mesmo aquele que possui o Death Note no Mundo dos Humanos não consegue ver ou ouvir o Shinigami que está com outra pessoa sem ter tocado no Death Note que este último possui.

(59) Ao abandonar ou transferir o direito de propriedade do Death Note, somente aqueles que mataram pessoas, escrevendo nomes no caderno, perderão a memória. O humano que apenas possui o Death Note, mas que nunca escreveu um único nome nele, não terá sua memória apagada depois de abrir mão dele. Entretanto, ele perderá a capacidade de ver e ouvir um Shinigami, assim como o poder do olho do Shinigami, caso tenha feito a troca.

3. Quando há dois ou mais Death Notes

(60) Caso um humano venha a possuir dois Death Notes, ele poderá pensar no rosto de uma vítima, escrever o nome dela em um caderno e a causa e as circunstâncias de sua morte no outro (e vice-versa). Esta regra poderá ser igualmente aplicada quando dois proprietários distintos de Death Notes agirem em conjunto, desde que um tenha tocado no caderno do outro.

(61) Até seis Death Notes poderão existir simultaneamente no Mundo dos Humanos. Obviamente, os cadernos em posse dos Shinigamis não contam, portanto, só poderá haver seis Shinigamis acompanhando humanos que possuem o caderno.

(62) Um mesmo Shinigami poderá entregar Death Notes para até três humanos ao mesmo tempo. É possível entregar seis Death Notes para três humanos, dando, por exemplo, dois cadernos para cada um deles. Sendo assim, é permitido também que um único humano seja proprietário de seis cadernos ao mesmo tempo. Se um sétimo caderno vier ao Mundo Humano, não funcionará.

III. O olho do Shinigami

1. A negociação

(63) O humano que se tornar proprietário do Death Note poderá ter o olho do Shinigami em troca de metade do tempo de vida que lhe resta, para tornar-se capaz de, ao olhar para o rosto de um humano, ver o seu nome e o tempo de sobrevida.

(64) Aquele que tiver feito a troca do olho do Shinigami e vier a perder o direito de propriedade sobre o Death Note, perderá também o poder do olho, além das memórias. Abdicar do Death Note, entretanto, não devolve o tempo de vida negociado.

2. Efeitos

(65) O humano que possui o olho do Shinigami consegue ver o nome e o tempo de sobrevida no rosto das pessoas. Tal percepção não se aplica a proprietários de Death Notes, nisto incluso o usuário dos olhos do Shinigami, ou pessoas mortas.

(66) Para ver o nome e a sobrevida de um humano usando o lho do Shinigami, é preciso enxergar mais do que a metade direita ou esquerda de seu rosto. Ao olhar para o rosto, de cima para baixo, é preciso poder enxergar do topo da cabeça até o nariz. Mesmo que uma parte do rosto esteja oculta, será possível visualizar o nome e a sobrevida desde que possa ver todo o contorno do rosto. Observadas estas condições, a habilidade funcionará em fotos ou imagens antigas, dependendo do tamanho e da nitidez delas. O mesmo não se aplica a nenhum tipo de ilustração, incluso as realistas.

(67) O humano que possui o olho do Shinigami passa a ter acuidade visual igual ou superior a 3,6 segundo a escala de Landolt usada no Mundo dos Humanos, independentemente da acuidade visual que ele possuía anteriormente.

(68) O nome da pessoa que o olho do Shinigami possibilita enxergar é aquele necessário para matar e, portanto, não precisa necessariamente estar registrado em certidões.

(69) A presença do Death Note no Mundo dos Humanos pode alterar o curso da vida de uma pessoa, fazendo-a morrer num tempo diferente do originalmente previsto. Apesar disto, o olho do Shinigami verá apenas o tempo de sobrevida original.

(70) Não é possível identificar o humano que possui o olho do Shinigami. Nem mesmo outros Shinigamis podem diferenciar os que fizeram o acordo dos que não fizeram.

IV. Regras dos Shinigamis

1. A relação com o proprietário do caderno

(71) Enquanto estiver de posse do Death Note, o humano será possuído até a morte pelo proprietário original deste caderno, o Shinigami.

(72) O Shinigami costuma revelar-se para o humano dentro de 39 dias, a contar do momento em que o humano usou o Death Note.

(73) A princípio, o Shinigami proprietário original do Death Note não interfere no uso do caderno pelo humano, seja ajudando ou evitando as mortes.

(74) Os Shinigamis não têm qualquer obrigação de dar todas as explicações sobre a forma de uso do Death Note ou as leis que recaem sobre os humanos em posse dele.

(75) O Shinigami não deve dizer a um humano o nome e a sobrevida que enxergar no rosto de alguém. Este é um cuidado que deve ser tomado para evitar tumultos no Mundo dos Humanos.

(76) Para que o Death Note seja usado no Mundo dos Humanos, é imprescindível que um Shinigami vivo tenha, desde o início, a intenção de fazer com que um humano use o caderno no Mundo dos Humanos. Embora seja difícil conceber que o Shinigami que está com um humano venha a morrer, caso isso aconteça, o Death Note trazido por esse Shinigami ao Mundo dos Humanos não sofrerá qualquer alteração em seu poder.

(77) Os Shinigamis não devem permanecer no Mundo dos Humanos sem motivo. As condições para a sua permanência no Mundo dos Humanos são: quando o Death Note desse Shinigami estiver em posse de um humano; o Deus da Morte deve procurar o humano para quem irá entregar seu Death Note a partir do Mundo dos Shinigamis, entretanto, dentro de um período de 82 horas, ele também poderá fazer essa procura no Mundo dos Humanos; o Shinigami também poderá permanecer no Mundo dos Humanos por um período de até 82 horas para seguir um humano, caso precise observá-lo mais minuciosamente com o intuito de matá-lo.

(78) O Shinigami não deve entregar seu Death Note diretamente para um humano com idade inferior a seis anos (segundo a contagem de tempo do Mundo dos Humanos). Por outro lado, Death Notes que foram jogados no Mundo dos Humanos são parte deste mundo e podem ser usados por humanos de qualquer idade.

(79) O humano que possui o Death Note não pode ser morto por um Deus da Morte que esteja no Mundo dos Shinigamis. Um Deus da Morte não pode ir ao Mundo dos Humanos com o objetivo único de matar o dono de um Death Note e somente o Shinigami que entregou o Death Note a um humano pode matar outro humano que possua um Death Note.

(80) Quando o Death Note de um Shinigami passa a pertencer ao Mundo dos Humanos contra a sua vontade, é permitido a ele permanecer no Mundo dos Humanos com o intuito de recuperar seu caderno. Neste caso, se existirem outros Death Notes no Mundo dos Humanos, o Shinigami não deve revelar suas localizações e proprietários para os humanos.

(81) No caso de um Shinigami perder o seu Death Note, enganado por outro Shinigami, a única maneira de reavê-lo é através da restituição do caderno por parte do Shinigami que o acompanha. Contudo, se o caderno, sem Shinigami, estiver em posse de um humano, será preciso tocar no caderno para poder passar a acompanhar o possuidor humano. Depois, deve aguardar até que o humano morra e tomar o caderno para si antes que outro humano toque nele ou, então, esperar que o possuidor o devolva por livre e espontânea vontade.

(82) Mesmo depois de um Shinigami ter trazido um Death Note para o mundo dos Humanos e entregue a posse do caderno para um humano, nada impede que ele mate esse humano usando seu próprio caderno, por qualquer que seja a razão, até mesmo por simplesmente não gostar desse humano.

(83) O Shinigami que levou um Death Note ao Mundo dos Humanos só poderá retornar ao Mundo dos Shinigamis quando:

I. O Shinigami testemunhar o fim do primeiro proprietário do caderno no Mundo dos Humanos, tendo escrito seu nome no caderno do próprio Shinigami;

II. O Death Note levado por ele ao Mundo dos Humanos não pode ser mais usado pelos humanos por ter sido destruído;

III. Não precisar acompanhar nenhum humano, por não haver ninguém que detenha o direito de propriedade do caderno;

IV. Por alguma razão, ocorrer a substituição do Shinigami que acompanha aquele caderno;

V. Perder a localização do caderno ou do humano que o possui, vendo-se obrigado a procurá-los através da “janela” no Mundo dos Shinigamis.

(84) Mesmo nas situações II, III e IV descritas acima, o Shinigami deve confirmar a morte do primeiro humano a quem entregou o caderno, mesmo que seja de lá do Mundo dos Shinigamis, e escrever o nome dele no seu caderno.

(85) O Mundo dos Shinigamis dispõe de alguns exemplares do que os humanos chamam de “manual de instruções” para o Death Note. Contudo, não é permitido entregar um deles para um humano. Um Shinigami poderá apenas ler o manual e ensinar seu conteúdo para um humano.

2. Utilização do Death Note

(86) O Shinigami pode prolongar sua vida apropriando-se da sobrevida do humano cujo nome escrever no Death Note.

(87) O Shinigami deve, obrigatoriamente, carregar um Death Note consigo. Esse caderno não poderá ser transferido para um ser humano. Tampouco será permitido que um humano escreva nele.

(88) É permitida a troca ou empréstimo de Death Notes entre Shinigamis.

(89) O Shinigami morre quando usa o Death Note com o intuito de prolongar a vida de um humano. Ele desaparece, mas o caderno não. O direito de posse do caderno é transferido normalmente para o primeiro que tocá-lo, mas o correto seria devolvê-lo ao Shinigami-Daioh. Um humano que faz o mesmo não sofre nenhuma pena.

3. A vida dos Shinigamis

(90) Um Shinigami não pode ser morto nem por uma facada nem por um tiro, no entanto, existem meios de matar um Shinigami, os quais muitas vezes são desconhecidos pelos Shinigamis

(91) Existem Shinigamis machos e fêmeas, mas não é possível que façam sexo entre si ou com humanos.

(92) Se o Shinigami já viu o rosto, o nome e o tempo de sobrevida de um humano, ele será capaz de localizar esse humano a qualquer momento através da abertura do Mundo dos Shinigamis.

(93) Existem regras no Mundo dos Shinigamis que, quando desrespeitadas, são passíveis de punições. Existem nove graus de punições que vão desde o Grau Especial, o Grau Um até o Grau Oito. Punições acima do Grau Três são seguidas da morte do Shinigami infrator.

(94) Quando um Shinigami mata um humano por meios que não sejam através do Death Note, ele deve receber a punição de Grau Especial.

(95) Shinigamis não precisam dormir. Suas ações neste sentido são apenas reflexo de preguiça.


Muitas regras, algumas curiosas e algumas estranhas. Mais opiniões estarão num futuro vídeo do Podcast do Kira.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s