Top 10 | Do pior ao melhor de Fragmentos do Horror

Fragmentos do Horror é um mangá de Junji Ito, o mestre dos quadrinhos de horror. Ele foi lançado em 2014 e consiste numa coletânea de 8 histórias. Como ficaria uma lista ordenando-as da pior à melhor?

Futon

Esta está em último lugar porque não consiste em algo realmente ruim, monstruoso. O elemento terror dela é apenas uma ilusão, o que, apesar do incrível jumpscare, enfraquece sua força numa análise posterior. Futon é também uma história muito simples, sendo que sua maior qualidade é a assustadora traição de alguém que fora tão bem tratado e cuidado pelo seu parceiro.

Magami Nanakuse

Esta possui uma narrativa voltada ao estranho (os tiques e a repetição de movimentos). Apesar de ser assustadora a perspectiva do cativeiro, não há um terror terror, digamos assim. A única coisa nela que se salva é o jumpscare. Ele nem faz muito sentido, considerando que o tique da protagonista era a rigidez, mas rende a página mais assustadora de Fragmentos do Horror. Fora isso, conto muito fraco.

Monstro de Madeira

Uma linda história de amor entre uma mulher e uma casa antiga. Só isso mesmo. Monstro de Madeira é apenas estranho, pois sua interessante condução dramática familiar não chega a lugar algum. Claro que o destaque é a arte estupenda de Junji Ito, em especial a cena dos olhos. Até o momento, a cada conto a complexidade narrativa fica melhor.

Dissecação-chan

Esta é mais uma narrativa fraca, pois em momento algum os personagens humanos correm risco. Qual é a tensão em ver uma psicopata querer ser dissecada? A graça da história está na caracterização psicopática da antagonista, o que também confere à Dissecação-chan uma aura de história de terror que não existe nas anteriores. O jumpscare desta é repulsivo, mas não faz nenhum sentido.

Tomio Gola Rulê Vermelha

Aqui as coisas começam a ficar boas. A premissa absurda de o protagonista ter que segurar a cabeça para que ela não caia é ótima para uma história de terror. Existe também uma boa ironia em ele ter que pedir ajuda para a mulher que deixou de lado para ficar com a bruxa, repetindo os personagens e mais ou menos a situação de Futon.

A situação é angustiante e a condução bem agradável, mas o final, com um Diabolus ex-machina seguido de um Deus ex-machina, ficou muito abrupto. Pareceu que o problema nunca foi um problema, que era só o protagonista relaxar que tudo ficaria bem (especialmente considerando aquele “acidente” que não deu em nada).

Pássaro Negro

Pássaro Negro é uma história de tortura e sobrevivência cujo vilão é na verdade um herói. Embora seja automático reconhecer a mulher como um ser do mal, é preciso lembrar que ela salvou a vida do Moriguchi e lhe deu mais alguns anos. Neste aspecto do plot twist se encontra um lampejo de genialidade do roteiro de Junji Ito. Ressalto também o quão surpreendente é o twist, uma vez que insere um conceito não utilizado antes em Fragmentos do Horror.

Suave Adeus

As duas melhores histórias provam que Ito é habilidoso em escrever drama. Suave Adeus segue como um drama familiar sobrenatural muito interessante, trabalhando bem seus personagens, até a chegada do plot twist, que é lógico e até previsível, mas que me pegou de surpresa.

Gostei muito do desfecho e da escolha da protagonista, afinal, não fazia sentido permanecer com pessoas que deixaram de se importar com ela. Aqui não existe medo, mas tristeza.

A Mulher que Sussurra

A melhor história de Fragmentos do Horror é um drama cujo elemento sobrenatural não é o que causa terror, mas o que traz uma satisfação politicamente incorreta. Ao longo de sua trama, baseada na absurda premissa da garota incapaz de decidir, o roteiro e a arte sugerem que algo sobrenatural e ruim virá.

De tanto esperar por isso, a revelação sobre a vida da acompanhante foi um soco no estômago para mim. Muito triste e revoltante, em especial por ver o descaso com que o magnata tratou a situação.

Com o ponto alto em seu final, Fragmentos do Horror se sai como uma boa obra. Possui 4 histórias meia boca e 4 boas, sendo todas bem diferentes entre si. Recomendo a leitura. Quem quiser comprar, clique neste link para adquirir a edição em capa dura da editora Darkside.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s