Crítica | Accident (2017): festival de burrice

Ficha técnica no IMDb

Um grupo de adolescentes viajando sofre um acidente e vai parar no meio do mato. Presos nos destroços, eles precisam se virar para saírem vivos e assim permanecerem.

Accident possui uma premissa bastante interessante: pessoas acidentadas presas nas ferragens. A luta pela sobrevivência, que deveria ser o foco do filme, todavia, é maltratada continuamente. Chega ao ponto de ser irritante e dá vontade de parar de assistir, não só pelo miolo da sobrevivência, e é aqui que entram as burrices.

O cartão de visitas de Accident é a loira fingindo estar procurando as passagens de ônibus, quando na verdade não as comprou. Ela queria fazer uma piada? Se queria, soou extremamente artificial e desnecessário.

Ao invés de comprar as passagens para que ela e a morena (não lembro o nome delas e não acho que o leitor tem o dever de reconhecê-las pelo nome) fossem ao festival, ela resolveu pedir uma carona sem avisá-la, porque assim seria “mais legal” (?). É patético ver que a ideia dá errado e a loira insiste em ser burra, conduzindo ambas para a beira da estrada, para pedir carona.

Depois de um inexplicável quase atropelo, Accident fez, de forma estranhamente picotada, as protagonistas pegarem uma carona com os dois desconhecidos que quase atropelaram uma delas.

Se nesse momento narrativamente importante existe uma sucessão incômoda de cortes, pouco depois, na cena seguinte, a câmera foca pacientemente na bunda das protagonistas depois de deslizar graciosamente o foco pela extensão de seus corpos seminus. Prioridades, né?

E a estética do filme também é um problema. Em vários momentos parece que a intenção é parecer um videogame, com certos efeitos visuais. Bem ruinzinho.

Durante o trajeto, previsivelmente, Fred tenta estuprar a morena e a loira, por absolutamente nenhum motivo, mexe no volante, resultando num esquisito voo e rodopio do carro. Esse devia ser o início da angústia, mas foi difícil eu me importar com os personagens.

Com Thomas desacordado, a loira presa, o Fred fora do carro e a morena livre, era óbvio o que deviam fazer: procurar um celular e ligar para a emergência. Magicamente o celular da loira passou pela abertura pequena da janela, caindo no chão, mas ela conseguiu usá-lo para… ligar para a mãe?

Personagens em situação de tensão podem tomar decisões burras, mas não faz sentido algum a loira querer ligar para a mãe ao invés de ligar para a emergência. Até porquê ela não sabia que as protagonistas estavam naquele lugar. Depois daquilo, nenhuma das duas sequer cogitou a possibilidade de tentar encontrar outro celular.

Como a morena queria provar que era mais burra que a loira, não tentou chutar o vidro da janela (sim, as pernas estavam dormentes, mas ela poderia usá-las como porrete usando as mãos) nem acertar cotoveladas.

Pior que isso, quando tentou explorar um buraco no para-brisa, ao invés de empurrar, ficou puxando o vidro, o que obviamente além de ser mais difícil ainda machucava suas mãos.

Depois que o Thomas saiu do carro pela janela, ela sequer tentou fazer o mesmo. Apenas ficou lá dentro do carro, tranquila e serena, esperando alguém salvá-la. Outro detalhe que me incomodou foi que o Fred foi jogado para fora do carro, mas não vimos a morena explorar algum buraco grande, que seria gerado pelo impacto.

A cena bem preparada da traqueostomia foi uma ilha de qualidade dentro do fraco núcleo do carro. O lado mais interessante da história foi o que se desenrolou a partir da situação complicada enfrentada por Thomas e por Fred, o homem que tem um buraco no peito feito por um galho e fica andando de boa por metade do filme.

Por mais que me agrade o dilema deles (acho até que Accident devia tê-los como protagonistas, não a burrice em dose dupla), não havia a mínima necessidade de tantos flashbacks. Eles não agregam quase nada e consomem muito tempo. Bastava o ótimo foreshadowing do helicóptero, o caçador e duas ou três frases para justificar a existência dos vilões.

O desfecho de Accident, com os confrontos físicos, é muito forçado e exagerado. O caçador foi burro num nível inacreditável e não havia a mínima necessidade de fazer o Fred salvar a loira morrendo em seguida. Bem fraco. Era melhor matar a burrice em dose dupla com a explosão do carro.

Accident é um filme de suspense deficitário, cujo roteiro ruim e mal pensado sabota sua atraente premissa. Não vale a pena assistir.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s