Crítica | Jumper (2008): execução sem significado

Algumas obras conseguem entregar um significado relevante mesmo sendo chatas, o que é o oposto do que ocorre com Jumper, um filme divertido, embora seja vazio.

Continue lendo