Crítica | Apartamento 212 (2019): trocando o regular pelo ridículo

A cena inicial mostra um homem machucado, o que já entrega o que irá acontecer. Claro que é algo óbvio, uma vez que está presente na sinopse, mas ainda serve para tirar o peso do que acontece mais tarde. Há também um jeitão de abertura de série com pausas com destaque para os nomes dos envolvidos. É um tom meio amador que combina bem com Apartamento 212, o que, infelizmente, só fui descobrir tarde demais.

Continue lendo