Crítica | A Tribo (2009): padrãozão dispensável

Meu primeiro problema com A Tribo está na sinopse. Falar em canibal sugere que o espectador verá algo como uma tribo indígena, no estilo de Holocausto Canibal. O inimigo é, na verdade, algo monstruoso. São uns macacos que agem como vilões padrões de slashers, sem nenhuma história que os justifique. Não há brincadeira sádica alguma, é só o predador dando botes na presa.

Continue lendo